quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Perfeita (Continuação) - I

Perfeita (continuação)

Encontramos Platus no caminho para o meu Box, ele havia transferido todas as coisas e também uma, vamos dizer camareira, que na verdade era uma serviçal com severas ordens de socialização e que também alguém imposta pelo Senhor e pai de Andrômeda, bom o primo estava  numa outra missão de escolta até um posto onde sua prima iria resolver uma questão de comercio área em que seu pai havia colocado nas mãos dela.
Como interrompi agora as duas estava no meu Box, outra coisa que era comum entre as fêmeas do seu planeta, elas não carregavam a castidade, só a reprodução era contida, principalmente pelas ditas Perfeitas.
De corpo desenhado com curvas e silhueta delirante, ela se pôs nua e se dirigiu ao chuveiro, fiquei só observando as duas na verdade estavam nuas e se divertiam sob a agua, olhando fixamente para mim que da minha cama fitava e as olhava com excitação, pois se tocava e se beijavam, como sedução e desejado fogo de quem queria ter e dar prazer.
Como o feromonio vagava enchendo o ambiente sentia dois distintos, mas que se atraiam e se direcionavam ao único macho no quarto, eu.
Esperei um instante e mandei Platus sair o que não o fez a principio, mas não estava a fim de carregar ele para onde iria então saquei minha armar e simplesmente apontei para sua cabeça e o fiz sair, mas antes disse:
- Esqueça tua missão elas agora me pertencem e volte e se o ver novamente lhe mato, sei como o procedimento é serio ao dominar uma Perfeita, então tudo que pertencia a ela, agora era meu, e o primo que se dana, nas explicações como o tio.
Tranquei a porta e sem mais puxei a Serviçal e perguntei o nome? Prisca!.
A levei para a cama e lá comecei a me deleitar com um corpo forte, mas macio e sem me contrariar ela me beijo e acariciou e nua a penetrei, sem a rudez dos membros naturais do seu planeta, mas mostrando que era minha e o desejo de ambos tínhamos que saciar, enquanto isso Andrômeda no banho só ouvia os gemidos prazerosas de um ser humano dominado pela luxuria de uma mulher humanoide de um lugar distante, mas que mostrava saber o que fazer, gozamos umas vez e depois como adoro apresentar certos nuances do sexo , um anal fui preparando, mas com cuidado, pois sei que não são bem vistos nem por essa raça, mas senti uma certa resistência no começo e um grito de dor, mas depois fluiu da maneira que gosto e passei minutos lindos em beijos apaixonantes com Prisca, enfiando rola as vezes devagar outras fortes e os gemidos, trouxe a Perfeita para peto do quarto e Prisca estendeu a mão para ela, mas eu tirei e olhei para essa mulher de pé só olhando sem repulsa ou qualquer rejeição, ai abri bem as pernas de Prisca e enfiei tudo sem dor , mas com prazer autentico de macho, então estendi minha mão e braço e Andrômeda deitou-se do lado e nos três se beijando e eu trepando no rabo de uma e beijando a boca da outra.
Não queria gozar , mas sim a muito sem ter uma mulher, que sabia agora pertencia mesmo, sem volta e ainda com uma serviçal fantástica e cumplice de Andrômeda, pois as duas também se beijavam com um ardor de paixão, retire um pau e fui ao banheiro o que a Perfeita fico olhando, mas só uma ducha e mesmo molhado, ao voltar estavam entrelaçadas e conversando baixinho, mas pararam ao me ver e sem mais entre as duas deitei, já que queria muito conversar antes de ter Andrômeda, assim Prisca levantou languida e pegou um objeto mostrou-me e as duas sorriram, e colocaram num aparelho e uma musica linda e ritmada começou elas estão contente e com a libido em alta , começaram a dançar e eu ofereci licor e me deram algo para comer, dançando elas me olhavam sorria e aos beijos se tocavam.
Perguntei:
- Se fazia muito tempo que se conheciam?
A resposta veio de Prisca, 10 dos teus anos, solar.
Andrômeda, somos amantes desde então, e agora me parece que você também o será!
Dançando me chamou e grudando o corpo no meu disse mereço o mesmo tratamento dado a Prisca?
- Sim, só iniciei com ela, pois queria te passar, que para mim são iguais!
Mas sei que outras vezes ela terá um papel serviçal pelo menos na frente de outros!
Então as duas junto ao meu corpo se beijaram e a mim, Tenho um pedido, disse Andrômeda:
- faça!
Não mate nem mande meu primo Platus de volta será muito útil a nos ou a você!
Peguei um copo e coloquei leite da Perfeita e ofereci a Prisca, ela me olhando bem vagabunda não prefere tomar direto, e pegou o copo e deu para nossa amante e pegou minha cabeça e levou ao peito da Perfeita onde suguei com força para obter o liquido e Prisca foi levada ao outro peito e assim nos dois sugamos e bebemos leite da Perfeita mais languida e saborosa, ela soltou gemidos e gritinhos de prazer, olhando nos dois de boca cheia , beijo-me e depois a outra mulher e disse:
- Foi a primeira vez que um homem tomou assim e a primeira vez que dois seres juntos fizeram e eu senti um prazer enorme.
Mas tarde falaremos com Platus então, ele não te pertence, mas sei que tem ascenção sobre ele.

Elas continuavam a dançar já que o leite de uma Perfeita tem lá suas funções energéticas e a sensualidade ali era viva entre nos . . . 


Almeida Lucius™

15/02/2017

2 comentários:

  1. Que jeito gostoso de viajar na tua escrita.
    E quanta fartura de sensualismo.
    Excelente fim de semana caro Almeida Lucius
    Meu Abraço ^.~

    ResponderExcluir